O clima árabe e de bom gosto que se curte no Restaurante Al Nur.. ali na esquina da Dona Leonor com a Osvaldo Aranha, vale cada aroma e cada sabor... do tradicional kibe até a beringela em pasta .. as delícias são um convite ao prazer gastronômico globalizado. Para os aficcionados, o prato principal é mjada, arroz com lentilha e cebola dourada. Sobra desejo pra quem gosta de quibe cru, queijo árabe, comida caseira e natural, nas opções com ou sem carne. Se tá a fim de uma iguaria visionária, nas quarta-feiras, o restaurante oferece leitura de borra de café. Mas a amplitude do lugar tem, além do cardápio à la carte, a opção de rodízio e a rodada vegetariana. Aberto em 1989, o restaurante tem uma boa carta de vinhos. Também vale a sobremesa tradicional com massa folhada com nozes e calda.... e mesmo um Häagen-Dazs... que fica bom com tudo... com boa companhia... fica ainda melhor... Se quiser em casa, os caras também mandam... quer saber mais... clica e vai... http://cidades.terra.com.br/poa/restaurantes/0,7570,I:1335,00.html

4 comentários:

Juliane Soska disse...

a comida é boa, mas o café...

Marcos Santuario disse...

o café árabe tem suas características próprias mesmo... não é coado, espera-se a borra sentar no fundo para servir.. mas neste caso vale a pena extrapolar o sabor e focar na cerimônia, eu penso... imaginar o espírito árabe no qual a bebida é sinal de que a visita é bem-vinda e honrada por seu anfitrião.. e mais... Tradicionalmente no deserto o café é preparado na fogueira, em um utensílio, bule especial conhecido como dale...

Juliane Soska disse...

eu sei disso. e fui JUstamente por isso que eu não gostei!hahaha


ah, e no final da degustação da bebida as jovens árabes esperam ler o futuro no pó do café. interessante!

Taci disse...

Recomendo o "kibe à moda" e a salada "chancliche" e como também não sou fã de café árabe... indico depois Häagen-Dazs de Macadâmia um chá de hortelã com água de flor de laranjeira...hum!!!E é claro um almoço em uma mesinha no sol para curtir o inverno vendo o movimento de uma metrópole intensa que não pára.