Segura o ônibus!

O Bruno, do clã Barreto, traz no seu DNA o cinema que foi incorporado como tradição familiar. Com mais approach que o irmão Fábio, Bruno não surge a partir do filme "Última Parada, 174", mas com ele mostra algo mais do que sabe fazer. Nascido no Rio de Janeiro, começou muito cedo influenciado pela família, rodando curtas em 16 mm, mas já conseguindo estrear com uma produção estrelada por Dina Sfat, "Tati, a Garota". No segundo e ambicioso filme já faz sucesso ("A Estrela Sobe"), para estourar a seguir com "Dona Flor e seus Dois Maridos", um sucesso mundial e a maior bilheteria de toda a história do cinema nacional. Depois de uma derrapada em "Amor Bandido" e um filme apressado como "0 Beijo no Asfalto", rodado quando "Luzia Homem" foi cancelado, dirige Marcello Mastroianni e Sonia Braga para a Metro com "Gabriela", baseado em Jorge Amado. Tenta mais dois filmes nacionais, "Além da Paixão", com Regina Duarte, e o interessante "O Romance da Empregada", antes de se mudar para o exterior. Conhece a atriz americana Amy Irving quando a dirige em "Assassinato sob Duas Bandeiras". Ex-senhora Spielberg, ela casa com Bruno. De volta ao Brasil, faz "O Que É Isso Companheiro?", finalista para o Oscar de filme estrangeiro naquele ano. Na concepção de "Última Parada, 174", Bruno baseia-se em fatos reais sobre a vida do rapaz Sandro do Nascimento, menino de rua que sobreviveu à chacina da Candelária e, em 2000, seqüestrou um ônibus no Rio de Janeiro. Como bem percebem os mais antenados, a história já estava pronta. Era só não estragá-la! Bruno tenta. E em alguns momentos consegue. Traça um paralelo, às vezes confuso, sobre a vida de dois meninos negros, pobres e cariocas/brasileiros. O destino é o grande vilão. E quem virou bandido é a vítima, excessivamente revelada como tal. No final, o "bem e o mal", observam e refletem, em lugares distintos, mas com a mesma reação de perplexidade diante do desfecho da tragédia humana/pessoal/social/brasileira. Em 2002 o diretor José Padilha, de "Tropa de Elite" (que tem gente que ainda não viu!), transformou a história no documentário "Ônibus 174". .... quer saber mais do filme! Vai em http://epipoca.uol.com.br/filmes_detalhes.php?idf=19323



0 comentários: