Gabo, no más


Em momentos de início da Feira do Livro de Porto Alegre, a ainda maior a céu aberto na América Latina, Gerald Martin, o homem que passou os últimos 18 anos dedicado à literatura de Gabriel García Márquez, declarou acreditar que a obra do Prêmio Nobel colombiano chegou a seu ponto final. Segundo a matéria na Folha de hoje: "Ele disse que passa o tempo todo escrevendo, mas se me perguntam se ele vai fazer coisas novas, eu digo que acho que não", afirmou em entrevista à France Presse o autor da biografia "Gabriel García Márquez - Uma Vida", lançada esta semana no México. O crítico britânico não descarta, no entanto, que sejam publicadas coisas que as pessoas já conhecem, como o conto "Em Agosto Nos Vemos". "Mas ele não vai escrever muito mais coisas", acrescentou. A relação de Martin com o escritor se justifica por seu monumental estudo do autor de "Cem Anos de Solidão", a quem dedicou um terço de sua vida através de 300 entrevistas realizadas e 3.000 páginas escritas. Não é a melhor notícia, mesmo!!

2 comentários:

Daniel Gruber disse...

Se considerarmos que alguns escritores, incluisive os nobeis, não sabem a hora de parar, a notícia não é de todo o mal.

Veja por exemplo o Saramago: três livros em pouco mais de um ano, todos feitos para gerar dinheiro (ou "polémica", o que dá no mesmo).

Mas se o Gabo ficar mesmo pelo Memória de minhas putas tristes, terá encerrado sua obra grandiosamente.

Marcos Santuario disse...

Tá falado... o mejor: hablado!!! A sabedoria de saber fazer é sempre bem compensada quando acompanhada da sabedoria de saber parar... faz sentido mesmo!!